DISBIOSE INTESTINAL: QUE EXAME FAZER PARA IDENTIFICAR ?

Olá queridos,

Já falei muito aqui no blog e no meu canal sobre DISBIOSE INTESTINAL, que é um desequilíbrio da flora bacteriana intestinal, que reduz a capacidade de absorção dos nutrientes e causa carência de vitaminas. Este desequilíbrio é causado pela diminuição do número de bactérias boas do intestino e aumento das bactérias capazes de causar doenças.

A disbiose, geralmente, provoca sintomas como náuseas, gases, diarreia ou prisão de ventre, e tem cura, que pode ser alcançada através de uma reeducação alimentar ( veja meu post sobre A DIETA FODMAP , clique aqui ), probióticos ( Clique aqui para saber mais como escolher o melhor para voce) e compostos vitaminicos ( clique aqui para saber mais). No entanto, quando a disbiose não é tratada, as bactérias ruins podem migrar para o sangue, podendo causar uma infecção em todo o organismo que, nos casos mais graves, pode levar à morte.

Disbiose-exame _para _disbiose-teste_para_disbioseOs principais sintomas da disbiose intestinal são:

  • Náuseas;
  • Gases e arrotos;
  • Queda de cabelo;
  • Unhas fracas;
  • Distensão abdominal;
  • Períodos alternados de diarreia e prisão de ventre;
  • Fezes mal-formadas;
  • Dores de cabeça;
  • Cansaço;
  • Candidíase de repetição.

Causas da disbiose intestinal:

As causas da disbiose intestinal podem estar relacionadas com o uso de antibióticos, omeprazois, anticoncepcionais, cortisona ou laxantes e também devido ao uso abusivo de álcool. O estresse, uma alimentação inadequada com excesso de açúcar, alimentos refinados e industrializados e pobre em fibras, assim como algumas doenças intestinais, como diverticulose, inflamação intestinal e a prisão de ventre, também favorecem o desequilibro da flora intestinal e, consequentemente, da instalação da disbiose.Pessoas com disbiose podem desenvolver alergias , urticária e acne, que são causadas pela intoxicação provocada pela entrada das bactérias ruins no sangue e, por isso, é importante realizar o tratamento corretamente.

Como identificar Disbiose Intestinal

Em caso de suspeita de disbiose, o gastroenterologista pode solicitar  um exame de urina específico para identificar a disbiose. A determinação dos ácidos orgânicos urinários está indicada na avaliação de pacientes que apresentam os sintomas da disbiose

Eu fiz esse exame  e fiquei impressionada com a quantidade de informações que ele dá , inclusive quais lactobacilos estão diminuidos no seu intestino e precisam de reposição, se voce esta com fungos , quais tipos de fungos , se tem candida ou não… enfim um perfil muito completo.No final do post mostro no video, os detalhes do exame. Dê uma olhada lá.

O Perfil Organix oferece essa possibilidade, é uma ferramenta que entre outras coisas ajuda o profissional a identificar o desequilíbrio de forma rápida e não invasiva. Quando dosam um ácido orgânico urinário, para a avaliação da flora bacteriana intestinal quantificam o produto final do metabolismo desta bactéria. Por exemplo: quando os lactobacilos Acidófilos fermentam o carboidrato não hidrolisado no estômago, o produto final desta fermentação é o ácido orgânico D-Lactato. Quando esta aumentado, sugere insuficiência de enzimas digestivas com exacerbação da fermentação dos carboidratos do intestino. O marcador do ácido orgânico referente ao metabólico fabricado pela bactéria em questão.

Como é feito o exame para identificar a Disbiose?

O exame é feito a partir de uma amostra de urina, que deve ser a primeira urina da manhã ou a urina concentrada por 4 horas. Nesse exame é avaliada a quantidade ácidos orgânicos  na urina, que é um produto do metabolismo .

Em condições normais ter traços de certos compostos é normal. No entanto, quando há desequilíbrio da flora intestinal, pode haver muita produção , sendo sua concentração elevada na urina e confirmando o diagnóstico de disbiose intestinal.

Como é feito o tratamento para Disbiose ( clique aqui para saber o passo a passo)

Veja o video abaixo que explico detalhadamente sobre o exame que fiz:

Beijo no coração e não esqueça de deixar seus comentarios e se inscrever na minha lista VIP , para ganhar um Ebook ,

clique aqui.

RECEBA MEU E-BOOK SOBRE ALIMENTOS MÁGICOS PARA UM INTESTINO SAUDÁVEL
Fiz este e-book com muito carinho e te enviarei ele por e-mail.

Carina Palatnik

Fascinada pela área de saúde desde a infância, com vocação para medicina, levada pela vida para a carreira de modelo e atriz ...

Comments

  1. Daisu Berne de Carvalhi 7 de dezembro de 2018 at 20:55
    Responder

    Amei a explicaçāo e aguardo agradecida.

    • Carina Palatnik 9 de dezembro de 2018 at 17:58
      Responder

      Ola querida
      que bom que voe gostou!
      Espero ter te ajudado.
      Beijos no coração e continue participando

  2. Katia 26 de dezembro de 2018 at 15:40
    Responder

    Olá Carina ! Adorei !
    Qual o laboratório que você fez nos USA ? Precisa se pedido médico ?
    Obrigada

  3. Katia 26 de dezembro de 2018 at 15:42
    Responder

    Olá Carina ! Adorei!
    O exame feito nos USA qual o laboratório? Precisa de pedido médico ?
    Obrigada

  4. Pollyneya Leite de Oliveira 31 de dezembro de 2018 at 13:01
    Responder

    Carina estou fazendo tratamento pra disbiose, tenho IL,etc etc. Tudo começou com uma diarreia, fui no clínico geral e passou antibiótico, fui noutro remédio pra verme, Anitta, e nada de melhorar. Fui no gastro passou alguns exames de sangue, parasitológico de fezes, PCR, tolerância a lactose, etc. Deu intolerância a lactose, mas esse gastro tbm n explicou nada. Fui na nutricionista e estou me tratando com glutamina e simfort. Exclui lactose, glúten, doces, etc. Faz um mês e pouco esse tratamento, ainda sinto muitos desconfortos, como indigestão, fezes mal formadas, as vezes fico desanimada. Já era magra, agora estou mais um pouco. Sempre tive alergias, candidíase de repetição, unhas fracas, enfim muitas coisas que depois que a ficha caiu estou vendo que essa disbiose é de longe. É normal demorar pra ter uma melhora efetiva? E a indigestão tbm faz parte da disbiose?

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *